NOVA BAHIA 2024

Telegram atingirá 1 bilhão de usuários mensais em um ano, diz fundador

Um dos principais rivais do Telegram, o WhatsApp, da Meta, tem mais de 2 bilhões de usuários ativos mensais

O Telegram, uma das plataformas de mídia social mais populares do mundo, provavelmente ultrapassará 1 bilhão de usuários ativos mensais dentro de um ano, disse seu fundador, o bilionário Pavel Durov. De acordo com informações da Forbes Brasil, o Telegram, que afirma ter sede em Dubai, foi fundado por Durov, nascido na Rússia. Durov afirma que deixou a Rússia em 2014 após se recusar a cumprir exigências de fechar comunidades de oposição ao governo em sua plataforma de mídia social VK, vendida por ele.

“Provavelmente ultrapassaremos 1 bilhão de usuários ativos mensais dentro de um ano”, disse Durov, que é proprietário integral do Telegram, em entrevista ao apresentador norte-americano Tucker Carlson, publicada na conta de Carlson na rede social X.

Durov, cuja fortuna é estimada pela Forbes em US$ 15,5 bilhões, disse que alguns governos tentaram pressioná-lo, mas que o aplicativo, que agora tem 900 milhões de usuários ativos, deve permanecer uma “plataforma neutra” e não um “participante da geopolítica”.

Um dos principais rivais do Telegram, o WhatsApp, da Meta, tem mais de 2 bilhões de usuários ativos mensais. O Financial Times publicou em março que o Telegram provavelmente vai buscar uma listagem de ações nos Estados Unidos assim que a empresa atingir a lucratividade. Depois que a Rússia invadiu a Ucrânia em 2022, o Telegram se tornou a principal fonte de conteúdo não filtrado – e às vezes gráfico e enganoso – de ambos os lados sobre a guerra e a política que envolve o conflito.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, publica seus discursos diários em vídeo no aplicativo, enquanto as forças armadas do país alertam sobre ataques aéreos e documentam a evolução no campo de batalha. O Kremlin anuncia as atividades do presidente Vladimir Putin no Telegram, enquanto a oposição da Rússia se mobiliza em busca de apoio.

Mas o aplicativo, dizem os críticos, também se tornou uma ferramenta de desinformação e manipulação. Um projeto de lei apresentado ao Parlamento ucraniano em março analisa uma regulamentação mais rigorosa do Telegram e de outras redes sociais.

Na entrevista, Durov disse que deixou a Rússia porque não aceita ordens de nenhum governo e minimizou alegações de que o Telegram é controlado pela Rússia afirmando que se tratam de rumores falsos espalhados por competidores preocupados com o crescimento da plataforma. “Eu prefiro ser livre a aceitar ordens de qualquer um”, disse Durov.

Segundo ele, o Telegram buscou sedes em cidades que incluíram Berlim, Londres, Cingapura e São Francisco, mas que a burocracia nestes locais é muito onerosa.

Durov afirmou ainda que foi atacado em São Francisco pode homens que tentaram roubar seu telefone. Mais grave, ele afirmou que tem recebido atenção de agências norte-americanas de segurança, incluindo do FBI. Durov disse que as agências governamentais dos EUA tentaram contratar um de seus engenheiros para encontrar uma brecha para invasão da plataforma. O FBI não comentou o assunto.

Veja também

GOVERNO DA BAHIA