Saúde da mulher vai além dos cuidados ginecológicos

O dia 28 de maio é uma data muito especial para as mulheres. Nesse dia celebra-se o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e, no Brasil, também o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna. As duas celebrações são frutos de décadas de mobilizações do movimento feminista por mais direitos no campo da sexualidade e reprodução, acesso à informação, educação e serviços de saúde. Todos os anos, nesta data, mulheres no Brasil e no mundo se reúnem em debates e manifestações para chamar a atenção da sociedade sobre a saúde da população feminina.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os problemas de saúde que mais afetam as mulheres atualmente são as doenças cardíacas, seguidas pelas infecções respiratórias, como pneumonia e bronquite; e pela doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). O câncer de mama, que muitas vezes é lembrado como o maior vilão da saúde da mulher, aparece em 10º lugar na lista das doenças da mulher, atrás de problemas como diabetes, hipertensão e complicações por parto prematuro.

“Ainda existe um aspecto cultural muito forte nas famílias em que as mulheres cuidam da saúde dos seus filhos e dos maridos e muitas vezes esquecem de si mesmas”, observa a cardiologista e responsável pelo Centro de Acompanhamento da Saúde e Check-up do Hospital Sírio-Libanês, a dra. Danielli Haddad Syllos Dezen.

Acompanhamento da saúde e check-up da mulher

Apesar da maioria das mulheres terem um ginecologista como seu clínico geral, as doenças que mais afetam a população feminina, conforme mostram os dados da OMS, envolvem também outras áreas da medicina. Ciente disso, o Hospital Sírio-Libanês criou um serviço integral de acompanhamento da saúde e check-up para as mulheres. Esse programa oferece atendimento multiprofissional para todas as etapas da vida.

Para a faixa dos 10 a 20 anos de idade, por exemplo, o Hospital Sírio-Libanês foi um dos pioneiros do País a ofertar uma avaliação coordenada por um médico hebiatra – profissional especialista em saúde na adolescência. Por entender bem as transformações físicas e comportamentais dessa população, o hebiatra buscar criar um vínculo de aproximação com as pacientes e assim analisar e cuidar de problemas relacionados à sexualidade, transtornos alimentares, tabagismo, consumo de álcool, sedentarismo, estresse, depressão, entre outros.

“Nós que trabalhamos com saúde sabemos cada vez mais que muitas doenças começam a se desenvolver na infância e na adolescência”, comenta a dra. Danielli. “Por isso não existe uma data certa para iniciarmos os cuidados com a saúde. Quanto antes, melhor”, completa.

Para as mulheres adultas, o serviço de Acompanhamento da Saúde e Check-up do Hospital Sírio-Libanês é conduzido por um clínico geral. No entanto, a abordagem das mulheres no Centro oferece um olhar integral. Elas são avaliadas por profissionais com enfoque nas principais características e necessidades delas, de acordo com faixa etária, como:

  • Ginecologia (que aborda questões como prevenção de câncer ginecológico, menopausa e infertilidade e endometriose)
  • Nutrição
  • Dermatologia
  • Fisiatria (motiva o abandono ao sedentarismo de forma segura, respeitando as características musculoesqueléticas, e aborda riscos de osteoporose)
  • Odontologia (avalia presença de periodontite, bruxismo – este interferindo na qualidade do sono)
  • Oftalmologia
  • Psicologia (aborda como lidar com as várias jornadas do cotidiano: mãe, mulher, profissional)
  • Aconselhamento genético (uma arma para aquelas com alto risco familiar para desenvolvimento para determinados tipos de câncer).

Além de exames de sangue laboratoriais e de imagens, o serviço de check-up oferece, em parceria o Centro de Imunizações, diversos tipos de vacinas para o público feminino, como a vacina contra o HPV (papilomavírus humano), coqueluche, rubéola, hepatites A e hepatite B, pneumonia, herpes-zóster e meningite.

A abordagem do risco cardiovascular é feita por meio do cálculo do Score de Risco Global. Em casos específicos, o aprofundamento de investigação diagnóstica se dá em parceria com o Centro de Cardiologia do hospital.

Já com o Centro de Oncologia, o check-up criou um tipo de avaliação que mede os riscos que as mulheres têm de desenvolver alguns tipos de câncer mais prevalentes nesta população, entre eles os de mama, ovários e intestino. Por meio de fórmulas matemáticas, que levam em conta fatores específicos de cada mulher, esse serviço identifica aquelas com maiores riscos e propõe um plano estratégico de prevenção. Essa ação envolve desde mudanças de hábitos de vida – como perda de peso, prática de atividade física, tratamento para parar de fumar, alimentação rica em fibras e pouco gordurosa – até acompanhamentos mais personalizados, com medicações preventivas e rastreamentos mais adequados, incluindo aconselhamento genético, explica a dra. Danielli.

Todas essas avaliações do serviço de Acompanhamento da Saúde e Check-up da Mulher do Hospital Sírio-Libanês duram, em média, 6 horas. Acesse aqui e conheça mais sobre esse serviço.

5 dicas para a saúde da mulher

1) Crie um tempo para você
Dedique parte do seu dia para fazer o que gosta. Procure práticas de autoconhecimento, como a meditação.

2) Busque um estilo de vida saudável
Alimente-se bem, evitando comidas gordurosas e álcool. Pratique atividade física e não fume.

3) Procure dormir bem
Recomenda-se dormir entre 7 a 8 horas ininterruptas diariamente. Horas a mais ou a menos podem afetar a memória, o aprendizado, a criatividade, a produtividade e a estabilidade emocional.

4) Atenção com as doenças cardiovasculares
A doença cardíaca isquêmica e o infarto estão entre as principais causas de mortalidade das mulheres. Procure um cardiologista e saiba como se proteger dessas doenças.

5) Faça avaliações periódicas de saúde regularmente
Tenha um médico que a ajude a acompanhar sua saúde ao longo da vida. Principalmente após os 50 anos de idade, exames preventivos passam a ser necessários de forma mais frequente. Além das doenças cardiológicas, é preciso saber também como anda sua saúde ginecológica, óssea, neurológica, entre outras.