Salvador estuda incentivo ao boxe junto aos jovens nas comunidades

Titular da Sempre, Kiki Bispo, diz que Salvador não pode ser considerada apenas como a cidade que exporta jogadores de futebol para o mundo, mas também em outras modalidades

Foto: Vitor Santos/Sempre

Descobrir muito mais medalhistas de boxe nas comunidades como o campeão olímpico Hebert Conceição, sobretudo nas partes mais vulneráveis. Esta é a intenção da Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre), que já estuda uma iniciativa para incentivar a modalidade esportiva na cidade.

O assunto foi abordado pelo titular da Sempre, Kiki Bispo, ao compor a mesa que concedeu a Medalha Thomé de Souza ao atleta, na Câmara de Vereadores, em cerimônia ocorrida durante a manhã desta quarta-feira (1º). A proposta está sendo tratada na Diretoria de Esportes e Lazer do órgão.

“Salvador não pode ser considerada apenas como a cidade que exporta jogadores de futebol para o mundo. Precisamos expandir o número de campeões em modalidades e uma delas é o boxe, que ajuda a tirar a juventude das ruas e apresenta uma nova perspectiva para os jovens na escola, no âmbito familiar, já que um dos requisitos é a disciplina. Por isso, já começamos a estudar a viabilidade técnica desse projeto, enfatizou.

O secretário também destacou que Hebert Conceição, assim como Acelino Popó Freitas, outro nome importante do boxe, se tornaram um exemplo para crianças e adolescentes.
“Ambos são de comunidades de baixa renda e, com força de vontade, chegaram longe”, concluiu o gestor da pasta.

“Trago uma grande missão de iniciar muitas pessoas, em especial jovens da periferia, que passam pelo o que eu passei. É importante mostrar a eles que é possível vencer, mesmo nascendo em condições adversas e sendo de origem humilde. Esporte e educação são duas ferramentas de inclusão social e formação de caráter”, salientou o homenageado.