Pesquisa genética da CEPLAC garante viabilidade econômica do cacau

A partir da entrada da doença vassoura de bruxa nos cacauais da Bahia, a CEPLAC órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA, por intermédio do seu Centro de Pesquisas do Cacau, vem coordenando um programa de pesquisas que é considerado nos meios científicos o maior e mais efetivo programa de melhoramento genético da história da cacauicultura mundial.

A chegada da vassoura de bruxa, identificada no ano de 1989 nas fazendas de cacau do sul da Bahia, se constituiu num sério problema econômico, um desafio à pesquisa científica da CEPLAC e à cacauicultura brasileira. A vassoura de bruxa já havia praticamente dizimado as plantações e destruído a economia cacaueira de países produtores da América Central, assim como Peru, Equador e Colômbia, na América do Sul.

A doença se alastrou rapidamente no sul da Bahia, reduziu drasticamente a produção brasileira de cacau e obrigou o Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec) a buscar meios imediatos para controlar a terrível enfermidade. Um esforço massivo da pesquisa e da extensão rural da CEPLAC definiu um sistema de controle integrado com quatro vertentes: os controles químico, biológico, genético e cultural, que incluía o uso racional de fungicidas cúpricos e sistêmicos, a poda fitossanitária com a remoção de tecidos infectados, a geração de clones produtivos e resistentes à doença e o controle biológico, que levou a Unidade de Biocontrole do Cepec/CEPLAC à formulação do Tricovab, com fungos antagonistas ao fungo Moniliophthora perniciosa da vassoura de bruxa.

A ciência agronômica considera o controle genético como o mais limpo e mais simples método para utilização do produtor, mas dependente da disponibilidade de cultivares com as características requeridas. Foi por esta razão que a CEPLAC definiu como ação, em longo prazo, a execução de um ambicioso programa de melhoramento genético em parceria com várias instituições de pesquisas nacionais e internacionais que apresenta agora resultados extraordinários.

Resultado das pesquisas

Dentre os inúmeros resultados do programa de melhoramento genético do cacau podem ser destacados a identificação de dezenas de novas fontes de resistência à vassoura de bruxa e outras doenças, de diferentes origens (Amazônia Brasileira, Peru, Equador, Colômbia, América Central etc.), além da constatação da ampla diversidade genética entre elas; a introdução, na Bahia e no programa, de centenas de genótipos coletados em áreas de dispersão natural da espécie ou selecionados em áreas comerciais e programas de melhoramento de outras regiões produtoras, incluindo genótipos resistentes à monilíase, outra importante doença que pode vir a ser introduzida no Brasil; a compreensão da eficiência evolutiva do agente causal da vassoura de bruxa e o principal mecanismo desta evolução; a identificação da ocorrência de diferentes genes relacionados à resistência a vassoura de bruxa; a comprovação de que a associação de diferentes genes amplia a durabilidade de resistência, o que é fator primordial para a cacauicultura, vista a eficiência evolutiva do agente da vassoura de bruxa; a constatação da associação entre resistência a diferentes doenças: vassoura, podridão parda e monilíase, fato que pode permitir a seleção indireta para patógenos ainda não presentes no Brasil, o que também vem sendo buscado por seleção genômica e seleção assistida por marcadores moleculares.

Além destes resultados, o programa de melhoramento genético desenvolvido pela CEPLAC/MAPA também apresenta importantes resultados científicos tais como a identificação de marcas moleculares associadas a diferentes genes de resistência, para ampliar a eficiência de seleção para este caráter; a identificação no genoma do cacaueiro de genes ligados à resistência à vassoura de bruxa, podridão parda, murcha de Ceratocystis e incompatibilidade sexual; a identificação de genes específicos de resistência e produzido plantas transformadas com gene da própria espécie; o estabelecimento, em campo, de várias centenas de progênies (1.030 progênies) de seleção recorrente – ciclos sucessivos de seleção para a associação de genes de resistência (vassoura de bruxa, podridão parda, monilíase), genes ligados à produtividade e a outros caracteres de interesse – para a seleção de progenitores das gerações seguintes e clones a serem testados em ensaios locais e regionais; a participação no maior processo de seleção massal ocorrido com a espécie, que foi a seleção de plantas resistentes conduzida em plantações comerciais da região cacaueira baiana após a introdução da vassoura de bruxa; e o estabelecimento, em campo, de ensaios regionais para a avaliação de centenas de variedades clonais em dezenas de locais (mais de 1.110 clones e 140 locais), para a indicação de variedades para cultivo comercial.

Na avaliação do diretor de pesquisa e extensão rural da CEPLAC – BA e ES, Raúl Valle, “… com estes resultados, estão estabelecidas as bases para a geração de novas variedades clonais para se somar aquelas já recomendadas pela CEPLAC, com resistência e produtividade asseguradas, que podem transmitir segurança aos investidores na cacauicultura e aos produtores rurais quanto à viabilidade econômica do cacau por várias décadas”.

Nesse sentido a Superintendência da CEPLAC-BA e ES, promoveu recentemente o lançamento de novos Clones, disponibilizando e orientando os cacauicultores que acessam suas mais modernas tecnologias.

JIU JITSU FERNANDO MEIRA