Neto diz a aliados que manterá ‘pé no chão total’ mesmo se Otto for candidato

Ex-prefeito de Salvador tem afirmado também aos aliados que não vai comentar a possibilidade de o senador Otto Alencar, do PSD, ser o candidato governista

Foto Mateus Pereira/ GOVBA

Pré-candidato ao governo da Bahia, o ex-prefeito soteropolitano ACM Neto (União Brasil) tem dito a aliados que manterá o “pé no chão total”, mesmo se o senador Otto Alencar (PSD) for o candidato do grupo governista ao Palácio de Ondina.

Aliados do ex-prefeito disseram que Neto considera a chapa encabeçada por Otto como a “mais fraca” que a base liderada pelo governador Rui Costa (PT) pode produzir. No entanto, o pré-candidato do União Brasil tem afirmado para as pessoas próximas que a eleição não será vencida por “w.o” e que é preciso manter o “pé no chão total”.

Segundo correligionários, Neto tem dito ainda que só vai comemorar qualquer resultado no dia 2 de outubro, data das eleições, e que promete se “matar de trabalhar” para ser eleito o novo governador da Bahia. O ex-prefeito tem afirmado também aos aliados que não vai comentar a possibilidade de Otto Alencar ser o candidato governista. Uma declaração de ACM Neto só deve ocorrer quando houver a oficialização da pré-candidatura do senador do PSD, entre os dias 6 e 7 de março.

Apesar de Neto querer manter o “pé no chão total”, aliados têm avaliado que será um “passeio” a eleição se Otto for candidato. Um deputado estadual disse, reservadamente, que pode ocorrer com Otto Alencar o que aconteceu com o então candidato do DEM ao governo da Bahia, José Ronaldo (hoje União Brasil), em 2018. Na avaliação deste parlamentar aliado de Neto, Zé Ronaldo era visto como um “político respeitado, era bem avaliado”, mas “não empolgou” e “não teve tempo para fazer campanha”.

Outro correligionário de ACM Neto avaliou que o ex-prefeito pode derrotar Otto Alencar em Salvador com mais de 800 mil votos de diferença. Para efeito de comparação, Rui Costa foi reeleito em 2018 com 600 mil votos a mais do que Zé Ronaldo na capital baiana.

Fonte: Bahia.ba