Mutirão renegociou 1,7 milhão de dívidas em atraso em março, diz BC

Se comparado a fevereiro de 2022, o aumento foi de 178% na procura por negociações

O Mutirão Nacional de Negociação e Orientação Financeira, realizado em março, possibilitou a renegociação de 1,7 milhão de dívidas em atraso. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (6) pelo Banco Central (BC).

A ação foi feita em parceria com a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), a Secretaria Nacional do Consumidor e os Procons de todo o País.

Segundo o BC, se comparado a fevereiro de 2022, o aumento foi de 178% na procura por negociações. Em relação ao mutirão realizado em novembro de 2021, que durou 30 dias, o mesmo volume de contratos foi repactuado.

Foram negociadas dívidas em atraso no cartão de crédito, cheque especial e outras modalidades de crédito sem a cessão de bens dados em garantia, como veículos, motocicletas e imóveis. O BC informou ainda que a nova rodada de negociação contou com a participação de mais de 160 bancos e instituições financeiras.