Instagram e Snapchat proíbem uso de gifs após caso de racismo

Imagens foram encontradas por internautas após uma busca pela palavra “crime” no aplicativo GIPHY

Os usuários do Instagram e Snapchat devem estar achando estranho a ausência dos gifs nas redes sociais. Desde sábado (10), ambas as redes sociais pararam de disponibilizar o recurso em suas plataformas após um caso de racismo ser detectado no aplicativo GIPHY, que fornece as imagens animadas para as redes.

As imagens foram encontradas por internautas após uma busca pela palavra “crime”. O resultado dado pelo aplicativo mostrava um contador de mortes de negros que fazia uso da palavra ‘Nigger’, gíria de cunho pejorativo. No gif, o contador era rodado por um macaco enquanto um homem branco que parecia ser um apresentador de auditório dizia “Continue girando a manivela, Bonzo. Os números continuam a disparar”.

Em nota o Instagram afirmou que a parceria com a plataforma foi suspensa por conta do episódio. “Não há espaço para esse tipo de conteúdo no Instagram. Suspendemos a nossa integração com o Giphy enquanto eles investigam esta questão”, afirma o Instagram, em nota.

Segundo a equipe responsável pelo aplicativo Giphy, a imagem racista só foi ao ar devido uma falha. “Depois de uma investigação do incidente, esse ‘sticker’ foi disponibilizado devido a um problema nos filtros de moderação de conteúdo, que afetaram especialmente os GIFs. Nós consertamos o bug e remoderamos todos os ‘stickers’ de GIF da nossa biblioteca”, afirmou o Giphy ao TechCrunch, que ainda se desculpou pelo ocorrido. “Sinceramente pedimos desculpas a todo que se ofenderam”.

As redes sociais Instagram e Snapchat não se pronunciaram quanto a volta do recurso.

Veja também