Gilbert Durinho aprova dicas de Usman em treinos para luta com Chimaev

Gilbert ‘Durinho’ e Kamaru Usman disputaram o cinturão dos meio-médios (77 kg) do UFC em fevereiro de 2021, fato que forçou o fim a parceria dos atletas na equipe ‘Sandford MMA’, onde treinavam juntos. Agora, cerca de um ano depois, os lutadores voltaram a dividir o tatame na academia.

O motivo para ‘Durinho’ e Usman voltarem a trocar experiências é a próxima luta do brasileiro contra Khamzat Chimaev, que acontece neste sábado (9), no UFC 273. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (clique aqui), o atleta natural de Niterói (RJ) detalhou como foi o reencontro com o atual campeão do Ultimate e destacou a ajuda que ele lhe deu na preparação para seu próximo compromisso.

Vale destacar que desde que saiu da ‘Sandford MMA’, Kamaru Usman se mudou para o Colorado e treina no mesmo time de Rose Namajunas, campeã do peso-palha (52 kg) do UFC, e Justin Gaethje, próximo desafiante ao título do peso-leve (70 kg) da organização.

“Ele (Usman) ligou para Henri (Hooft) e para mim perguntando se podia treinar lá, porque estava com a filha na Flórida. Eu falei que lógico que poderia. Ele treinou um pouco mais cedo e depois com a gente. Quando acabou o treino dele, começou o meu e ele ficou assistindo. Ele deu uns toques bons, dizendo que o Chimaev não bloqueia tanto chute, ele cansa, faz ele cansar, trabalha nisso, se liga na mão direita ele. Então deu alguns toques em alguns sparrings. Foi muito bom ter o cara ali, é muito inteligente, tem um QI alto de luta, então sempre tento aprender com os melhores. Ele me ajudou bastante uns dias”, analisou.

O reencontro com Usman foi importante para ‘Durinho’ encerrar uma possível especulação do fim da amizade entre eles. Tanto que o brasileiro fez questão de destacar o respeito que os dois possuem um pelo outro e reafirmou que seu foco está somente no cinturão, rechaçando qualquer buca por vingança contra o algoz nigeriano.

“Tenho uma relação muito boa com ele, já trocou muita ideia e apaziguou tudo. Eu respeito muito ele. Ele me ganhou em um bom dia, porque acertei uma mão boa nele, joelhada, chute alto e ele me ganhou mesmo assim. Tenho maior admiração. Quando estava na Blackzilians ele era 1-0 e agora é 20-1, melhor peso-por-peso do UFC. Sei que ele me respeita e sabe quem eu sou. Não tenho rivalidade com ele. Meu objetivo é aprender com essas derrotas e pegar o cinturão. Não estou atrás do Kamaru e sim do título. Se acabar de eu ter a chance e ele ainda for o campeão, vamos lutar”, finalizou.

Fonte: Ag. Fight