Filiação de Bolsonaro ameaça aliança do PL com ACM Neto

Presidente da República deve apoiar o atual ministro João Roma na campanha pelo Palácio de Ondina

Provável destino do presidente Jair Bolsonaro, o PL pode deixar a aliança com o ex-prefeito ACM Neto se confirmada a filiação do chefe do executivo federal. A possibilidade foi revelada pela cúpula da legenda na Bahia ao jornal Tribuna da Bahia.

O presidene da República tem como preferência na disputa pelo Palácio de Ondina pelo nome do atual ministro da Cidadania, João Roma (Republicano). O ex-prefeito de Salvador, por sua vez, não esconde que o DEM ou o futuro União Brasil (fruto da fusão com o PSL) não apoiará a candidatura a reeelição de Bolsonaro. A data da filiação de Bolsonaro ainda não foi oficializada.

Um integrante do PL, de acordo com a publicação, afirmou que será difícil resolver o impasse. João Roma já teria sinalizado que quer o PL ao seu lado na sucessão estadual. O democrata, que lança sua pre-candidatura no próximo dia 2, também não está parado e tem atraído os prefeitos do PL na Bahia.

Para João Roma, ” caminhando para a reeleição do presidente Bolsonaro, como núcleo central, é importante que haja harmonia de três partidos que estão mais próximos hoje do governo, que são o PL, o Republicanos, que eu faço parte, e o Partido Progressistas, partido do senador Ciro Nogueira, que é o ministério chefe da Casa Civil”.  Capitaneado na Bahia pelo vice-governador João Leão, o PP estadual integra o grupo do governador Rui Costa, que terá como candidato a governador o senador Jaques Wagner.

Programa Estado Solidário