Deputados apresentam proposta para contribuir na recuperação das nascentes baianas

Com o objetivo de tratar sobre a recuperação e conservação das nascentes de rios baianos, membros da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, Fábio Souto (DEM) e Joseildo Ramos (PT), e membros da Comissão de Agricultura, Eduardo Salles (PP) e Antônio Henrique (PP), estiveram em reunião, nesta terça-feira (10), com o secretário estadual de Meio Ambiente, Geraldo Reis. A proposta do grupo é que os parlamentares destinem recursos de emenda impositiva para contribuir na proteção das nascentes.

O deputado Joseildo explicou que a doação por meio das emendas seria um ato simbólico, visto que os recursos financeiros necessários para este fim é bastante significativo e ela não teria condições de cobrir. “A intenção é tentar sensibilizar a sociedade baiana, os governos e os deputados de todos os partidos para a necessidade de cuidarmos de nossas nascentes. E, de acordo com o que conseguirmos arrecadar, pediremos contrapartida do governo do Estado”, disse.

De acordo com o presidente da Comissão de Agricultura, Eduardo Salles, a intenção é arrecadar entre os deputados estaduais, ainda este ano, o valor de R$ 1 milhão e, em outubro de 2018, inserir no orçamento de 2019 mais uma quantia de R$ 5 milhões. “Para tanto, precisaremos de um projeto para recuperação das nascentes para já arrecadarmos sabendo o quanto precisamos”, disse Salles, solicitando apoio do secretário, que parabenizou a iniciativa e falou das dificuldades da pasta para conseguir investimentos.

“De uma forma geral, necessitamos de uma mudança cultural dos políticos e da sociedade civil em internalizarem a importância desses investimentos, porque eles ainda são pequenos diante de nossas necessidades”, desabafou. Segundo ele, para fazer um plano para as bacias é necessário, em média, R$ 3 milhões para cada, e o investimento seria em torno de R$ 150 milhões, incluindo programa de saneamento. “Das 26 bacias existentes em nosso Estado, temos concluídos os planos estratégicos de três delas, e agora estamos tramitando o processo para fazermos de mais duas, o Rio Corrente e Rio Grande”, afirmou.

Para finalizar, o secretário ainda acordou com os deputados em disponibilizar, nas próximas semanas, um técnico para apresentação do estudo realizado pela Agência Nacional de Águas (ANA) sobre o potencial hídrico do aquífero Urucuia. “Esse estudo pode ser um bom ponto de partida para o trabalho que podemos fazer juntos”, concluiu.

Fonte: Ascom
JIU JITSU FERNANDO MEIRA