Cris Cyborg se sente desrespeitada por não dar entrevista pós-luta no UFC 232

Após o nocaute para Amanda Nunes, a ex-campeã dos penas ficou frustrada por não ter sido entrevistada dentro do octógono: ‘Eles me chutaram para fora do cage’

Cris Cyborg foi nocauteada por Amanda Nunes aos 51 segundos do evento co-principal do UFC 232, , em Los Angeles (EUA). Após a derrota, a paranaense não convidada para dar entrevista dentro do octógono para Joe Rogan. Durante a coletiva de imprensa pós-evento, a ex-campeã dos penas admitiu que foi desrespeitada pelo Ultimate por não dar a ela a chance de falar diretamente com seus fãs.

Cris relembrou as conquistas de sua carreira, e acredita que suas façanhas justificaram que ela tivesse a chance de ser entrevistada.

“Eles me chutaram para fora do cage. Acho isso ruim, bem desrespeitoso, porque fiz muito pelo esporte. Era pra eu dizer oi aos meus fãs e falar com eles. Não acho certo, mas ok, já fizeram isso, posso ir até a mídia e falar com os meus fãs, dizer o quanto gosto deles por terem vindo aqui assistir minha luta, toda a Nação Cyborg aqui para me assistir. É ok, só sinto que deveria falar alguma coisa. Duas lutadoras brasileiras, duas campeãs, é isso”, disse Cyborg.

Mesmo desapontada por não poder falar com seus fãs, Cris afirmou que está determinada a lidar com esse revés com equilíbrio e vai seguir lutando.

“O mais importante é ser campeã no coração dos fãs, fazer diferença, é pra isso que eu luto. Eu não desisto, porque todos sabem o que aconteceu na minha carreira. Nunca foi fácil pra mim, mas eu trabalhei duro e peguei o cinturão, provei para todo mundo o que sou e contra o sistema. Ninguém faz isso contra o sistema, e eu era campeã antes, quero ser a campeã no coração dos fãs e continuar a fazer isso em qualquer lugar que for”, concluiu a ex-campeã dos penas.