Copa do Mundo provoca corrida às lojas para comprar TV nova; Brasil estreia amanhã

TV mais procurada é de 40 polegadas, mas tem promoções para modelos de até 60

Segundo vendedores, movimento nas lojas aumento na última semana em Salvador (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

A Seleção Brasileira estreia neste domingo (17) na Copa do Mundo da Rússia. Agora, aos 45 do segundo tempo, ainda tem gente procurando um aparelho de TV para comprar. Em lojas de Salvador, vendedores contaram que muitos clientes resolveram deixar a troca da TV para a última hora – por isso, nesta semana, o movimento foi acima do normal.

Caminhar pela Avenida Sete de Setembro sempre é um desafio, mas, nos últimos dias, é preciso sair driblando um mar de gente para conseguir entrar em alguns estabelecimentos. Para atrair os consumidores, algumas lojas têm apostado alto.

As Casas Bahia têm uma promoção em que o cliente leva uma TV LG de 60 polegadas por R$ 4.999 e, com mais R$ 1, leva  outra de 32 polegadas da mesma marca. A compra toda sai por R$ 5 mil e pode ser parcelada. O mostruário da loja atraiu a atenção de quem passava pela rua movimentada nesta sexta (16) de manhã.

A garçonete Lady Jane Almeida, 39 anos, ficou interessada. Ela contou que comprou uma televisão há menos de um ano, mas há seis meses o aparelho deu defeito. Com a ajuda do Procon, ela conseguiu reaver o dinheiro gasto e, agora, está em busca de uma nova TV.

“Fiz uma pesquisa pela internet e os preços estavam parecidos com os das lojas físicas. Desde que a outra TV deu defeito, a gente estava usando uma menor que tinha lá em casa. Agora, queremos uma nova e maior”, contou.

O marido dela, o rodoviário Jailson Jacinto, 44, disse que saiu de casa com a intenção de comprar um aparelho de 50 polegadas, mas acabou optando pela da promoção. Adivinha o motivo…

“O jogo, é claro! A gente já ia comprar uma TV mesmo, então aproveitei para ver isso logo essa semana para dar tempo de ver o jogo do Brasil. Assistir em uma TV maior é sempre melhor”, afirmou.

Lady Jane e o marido pretendiam levar TV de 60 polegadas; Copa influenciou (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Cuidados
Na hora da compra, todo mundo fica ansioso com as promoções, mas o titular da Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon), Iratan Vilas Boas, aconselha calma e atenção nesse momento, para evitar pegadinhas. Ele lembrou que TV é cara e que permanece com o cliente por muito tempo. Melhor pesquisar.

A nota fiscal é um documento indispensável. Além disso, é preciso ter atenção com a política de troca e o certificado de garantia. Esses itens podem parecer burocracia, mas podem se transformar em dor-de-cabeça.

“Os fornecedores envolvidos na relação de consumo respondem solidariamente por qualquer problema com o aparelho. Ou seja, a loja tem a mesma responsabilidade que o fabricante. Em casos de defeito, o Procon orienta o consumidor a encaminhar o produto para a assistência técnica e noticiar a loja imediatamente”, disse.

O Código de Defesa do Consumidor estabelece 90 dias de garantia e troca de aparelhos apenas em caso de defeito, mas os comerciantes estão livres para flexibilizar. Na prática, o vendedor pode abrir mão do direito e oferecer garantia estendida para o cliente ou aceitar trocas em algumas situações.

Tecnologia
Não interessa se os meninos de Tite estão do outro lado do planeta. Os vendedores garantem que a tecnologia de alguns aparelhos vai fazer o torcedor se sentir no estádio de futebol. “Nessas horas tem até televisão com ‘função futebol’”,diz a vendedora.

“Quando o cliente ativa essa função, a imagem se aproxima, fica maior, como se fosse uma câmera. É ótima para assistir ao jogo porque dá para ver as jogadas mais de perto”, contou.

O aparelho tem 48”, também é Smart TV, da marca Philco e custa R$ 2.100. Não é preciso falar russo para assistir ao jogo, mas, lembram alguns clientes, é bom aprender outra língua para a hora da compra: a da pechincha.

A dona de casa Márcia Lima, 47, encontrou uma televisão na internet por R$ 1.439. Na loja física, o mesmo aparelho custa R$ 1.699. “Estou negociando com o vendedor. Se não conseguir o desconto, não vou levar. Está russo encontrar uma televisão com preço em conta. Acho que vou esperar a Copa passar”, disse.

Mais procurados
Para escolher bem o aparelho e marcar um gol de placa no desconto, é preciso pesquisar bem. Os preços alternam muito, conforme o tamanho e o modelo da televisão.

Na Ricardo Eletro da Avenida Sete de Setembro, a TV mais vendida é uma Samsung de 40 polegadas. Ela está custando R$ 1.099, mas já não existe no estoque em algumas filiais. A loja está com a promoção de outra Samsung, de 48 polegadas, por R$ 2.499.

Já os vendedores da Insinuante contaram que os clientes estão procurando mais por dois modelos: Samsung, 55”, R$ 3.447, e Philco, 42”, R$ 1.499.

Para quem está em dúvida se deve trocar de aparelho, a campanha publicitária da Magazine Luiza pergunta: ‘Você vai ter coragem de assistir à Copa na mesma TV do 7 x 1?’. Fica a dica.

Rede de hipermercados espera aumento nas vendas de 50%: maior parte dos brasileiros vai ver a Copa em casa (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Supermercados
Os supermercados não querem levar chocolate e também estão fazendo concessões nos preços. O GBarbosa prevê crescimento de 30% nas vendas de televisores até o início dos jogos, em especial das TVs acima de 43”.

Segundo a gerência do GBarbosa, as vendas começaram a esquentar a partir da última semana de maio e os modelos mais procurados são as de telas de 43 até 65 polegadas, com na tecnologia 4k que oferece mais qualidade de imagem e som. Até amanhã, dia 17 de junho, o pagamento pode ser feito em até 18x sem juros ou 24x com juros no Cartão Cencosud/GBarbosa.

Já a rede de hipermercados Extra estima uma alta de 50% na venda de TVs em comparação com a Copa do Mundo de 2014. A grande aposta para este ano está nos aparelhos com tela grande e com tecnologias como a 4K, de maior resolução. A expectativa da rede é de que 35% das compras sejam deste tipo.

TV aberta
Os dados de uma pesquisa  e divulgados pelo Boa Vista SCPC apontam que sete em cada dez brasileiros afirmaram que vão assistir à Copa do Mundo – e somente 40% acreditam que o Brasil vai finalmente alcançar o hexacampeonato. Ou seja, parece que o fatídico 7×1 para a Alemanha há quatro anos ainda assombra a torcida dos brasileiros.

Quase metade dos entrevistados disse que vai acompanhar o campeonato pela TV aberta (48%), seguidos daqueles que vão ver pela TV por assinatura (39%), internet (9%) e rádio (2%).

Jogo não é jogo se não tiver torcida. Por isso, a maioria dos brasileiros que vão assistir à cobertura da Copa pela TV fará isso em casa (54%). Outros 21% vão sofrer e se emocionar na residência de amigos e familiares (21%). Há também aqueles que vão acompanhar pelo  trabalho (13%), em bares, restaurantes e padarias (8%), além de telões e locais públicos (2%).

A pesquisa mostrou também que outros dois setores serão afetados pelo campeonato: alimentos e utensílios. Segundo a pesquisa da Boa Vista SCPC, 70% dos consumidores irão comprar alimentos e bebidas para consumir durante os jogos e 19% disseram que investirão em camisas e itens para animar a torcida, como bandeiras e enfeites.

Já quando a questão é dinheiro, a maioria dos entrevistados contou que não pretende superar os R$ 200 com os festejos dos jogos da Seleção Brasileira. Eles são cerca de 60%, no total.

Outros 22%, um pouco mais abastados, estão dispostos a gastar valores entre R$ 200 e R$ 400. Os que gastarão de R$ 400 a valores superiores a R$ 1 mil são 18% dos entrevistados.

A pesquisa foi realizada de modo quantitativo, por meio de abordagem via internet, no período entre os dias 6 e 11 de junho. Foram entrevistadas cerca de  mil pessoas em todo o país.

 

Fonte: Correio da Bahia
JIU JITSU FERNANDO MEIRA