Central Estadual de Regulação terá novo software para controlar leitos hospitalares em tempo real

A partir da próxima semana, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) implantará um novo software para o gerenciamento de leitos hospitalares, possibilitando que a Central Estadual de Regulação (CER) tenha acesso, em tempo real, ao número exato de leitos disponíveis em cada unidade no momento da alta hospitalar.

O anúncio foi feito pelo secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, durante o Encontro Estadual sobre Regulação e Produtividade Hospitalar, nesta quarta-feira (10), em Salvador. Mais de 700 gestores municipais e diretores de hospitais públicos e filantrópicos participaram do evento, realizado em parceria com o Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde da Bahia (Cosems-BA).

“Somente em 2019, a CER atendeu mais de 50 mil solicitações e conseguiu reduzir para abaixo de mil o número de pacientes internados que aguardavam por um procedimento, sejam avaliações com especialistas, cirurgias ou exames. Na prática, isso significa que a meta de atender todas as solicitações em até 24 horas está cada vez mais próxima, visto que a capacidade diária é de, pelo menos, 500 pacientes”, afirmou o secretário.
Vilas-Boas acrescentou que a redução no tempo de resposta da regulação é o resultado mais visível, visto que 90% das solicitações são atendidas em até 48 horas.

“Tivemos uma queda de 71% no quantitativo de pacientes aguardando procedimentos ortopédicos, internação neurocirúrgica adulta e internação pediátrica. Também reduzimos em 68% o tempo para internação cirúrgica cardíaca e 54% para cirurgia vascular”, disse. 

Para que haja uma melhoria contínua dos indicadores, o coordenador médico da CER, Eduardo Sampaio, explicou para os diretores de hospitais e secretários municipais que é necessário aperfeiçoar o relatório médico dos pacientes. “Precisamos de uma história sucinta e bem feita, especificando exatamente o que se quer”, destacou Sampaio.

Ele lembrou ainda há diversos protocolos que devem ser seguidos para que o paciente tenha a solicitação atendida. Caso isso não ocorra, o tempo de resposta torna-se alongado e a responsabilidade é da unidade de saúde.

Outro tema abordado no encontro foi a necessidade dos municípios fortalecerem as suas unidades hospitalares e aperfeiçoarem os instrumentos de gestão. “Analisando a produção hospitalar na Bahia no período de 2017 e 2018, verificou-se que dos 417 municípios existentes no estado, 316 emitiram alguma Autorização de Internação Hospitalar (AIH), que é o documento que viabiliza o faturamento dos serviços hospitalares prestados no SUS. Destes, 147 reduziram o faturamento em relação ao ano anterior”, revelou o assessor especial da Sesab, Cassio Garcia.

O encontro ainda possibilitou que a Bahiafarma, laboratório público baiano, apresentasse os produtos fabricados e distribuídos para todo o Brasil, como os testes rápidos de dengue, zika e chikungunya, além dos medicamentos cabergolina, sevelâmer e insulina. O assessor da Bahiafarma, Tiago Moraes, detalhou cada um deles e explicou como os municípios podem adquirir os itens do portfólio da instituição.

Fonte: Ascom/Sesab