GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Brasil vence Equador por 2 a 0 e segue 100%, mas resultado não alivia bastidor agitado na CBF

Neymar marcou o seu de pênalti

O Brasil manteve a indefectível campanha nas Eliminatórias Sul-Americanas ao vencer o Equador por 2 a 0, ontem, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre-RS. O jogo válido pela sétima rodada foi o quinto da Seleção, que venceu todas as partidas e soma 15 pontos, na liderança isolada da competição que leva ao Mundial do Catar, em 2022. Richarlison e Neymar, de pênalti, fizeram os gols do jogo.

A tranquila condição da Canarinho nas Eliminatórias contrasta com o agitado bastidor da CBF, em forte crise desde a confirmação do país como sede da Copa América. A decisão de receber o torneio continental não agradou aos jogadores, principalmente aqueles que atuam na Europa.

A insatisfação dos atletas foi confirmada pelo técnico Tite, outro que não está nada feliz com as últimas decisões de Rogério Cabloco, presidente da CBF. De acordo com informações do jornalista Andrei Kampff, do UOL, o treinador da Seleção pode até deixar o cargo nos próximos dias. Caso isso se confirme, Renato Gaúcho é visto como solução pela entidade que comanda o futebol nacional.

Outra possibilidade é um recuo de Cabloco, que está isolado politicamente dentro da CBF e viu sua condição ficar ainda mais fragilizada, ontem, ao ser alvo de uma denúncia de assédio sexual (leia mais sobre o caso no texto abaixo).

Nada disso, no entanto, deve acontecer antes do próximo compromisso pelas Eliminatórias. A Seleção volta a campo na próxima terça-feira, contra o Paraguai, no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção. Só depois desse compromisso as peças devem começar a se movimentar no tabuleiro da CBF.

O jogo

Ontem o Brasil entrou em campo com oito mudanças em relação ao último jogo das Eliminatórias, quase 200 dias atrás. No meio de tantas novidades, a maior delas foi a presença de Gabigol no comando do ataque, função que vinha sendo exercida por Roberto Firmino.

A Seleção não teve vida fácil no Beira-Rio. Desde os primeiros minutos os equatorianos subiram a marcação e dificultaram a saída de bola brasileira. Nesse cenário, foi comum ver Neymar ir até o campo de defesa buscar a bola para tentar conduzir o time ao ataque.

Prova de que a marcação visitante funcionava bem é que a primeira finalização Canarinho aconteceu só aos 22 minutos. Gabigol recebeu ótimo passe de Richarlison, invadiu a área e tentou o chute cruzado, mas Domínguez saiu bem do gol e fez a defesa.

A eficiência do Equador para se defender não era emulada no campo de ataque. Alisson foi um mero espectador durante todo primeiro tempo em Porto Alegre. Nem mesmo nas jogadas de bola parada os equatorianos conseguiram levar perigo à meta brasileira.

Na reta final do primeiro tempo, aos 41 minutos, a Seleção chegou a balançar as redes após boa jogada pela direita, mas Gabigol estava em posição irregular e a jogada foi invalidada. Depois ainda teve tempo para Casemiro arriscar de fora da área, e Neymar tentar fazer um gol olímpico. Como as duas tentativas foram frustradas, as equipes desceram para o vestiário com o placar zerado.

Segundo tempo

As seleções voltaram sem mudanças para a segunda etapa e o Brasil seguiu com dificuldade para achar espaços no campo de ataque. A Canarinho chegou a ter 65% de posse de bola, mas sem conseguir agredir a defesa equatoriana.

Aos 15 minutos do segundo tempo o treinador da Seleção sacou Fred e mandou Gabriel Jesus para campo. O atacante do Manchester City jogou aberto pela direita, só que foi pelo outro lado, com Richarlison, que a equipe chegou ao gol.

Logo depois da mudança, aos 19’, Paqueta roubou bola no campo de ataque e passou para Neymar. O camisa dez logo achou Richarlison nas costas da defesa e acionou o Pombo, que dominou com a direita a mandou a bomba de canhota para abrir o placar no Beira-Rio.

O gol fez bem ao Brasil, que melhorou em campo e criou chances para fazer mais nos minutos seguintes. Primeiro Gabriel Jesus fez jogada individual e parou no goleiro Domínguez. Depois Gabigol perdeu duas ótimas oportunidades ao receber passes de Jesus e Richarlison.

De tanto insistir, a Seleção chegou ao segundo gol. Gabriel Jesus sofreu pênalti e Neymar balançou o barbante. O atacante precisou de duas cobranças para marcar. Na primeira, viu Domínguez fazer a defesa, mas o VAR denunciou que o goleiro se adiantou e o camisa dez teve a chance de se redimir para fechar o placar.