Brasil tem inflação, juros e desemprego de dois dígitos entre as grandes economias

Último registro desta ‘tríplice coroa’ negativa no país tinha sido durante a recessão de 2016

O Brasil tem taxas de dois dígitos de inflação, juros e desemprego entre as grandes economias do mundo. Junto com o Brasil,  apenas a Turquia vive tal situação, segundo levantamento feito pela agência de classificação de risco Austin Rating.

Em solo brasileiro, taxas de dois dígitos nos 3 indicadores não eram registradas desde a recessão de 2016. Considerando os dados oficiais desde 2012, quando começou a série atual da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), essa tríplice coroa’ só ocorreu em 4 meses, segundo a Austin.

A Argentina e Rússia também estão no topo dos rankings das maiores taxas de inflação e de juros básicos do mundo, mas mantêm um desemprego abaixo de dois dígitos. Já a África do Sul e a Espanha possuem desemprego superior ao do Brasil, mas inflação e juros bem menores.

Inflação

Já são 8 meses seguidos com a inflação anual acima dois dígitos o Brasil, segundo mostrou a prévia da inflação de abril divulgada pelo IBGE. A Selic superou os 10% em fevereiro e foi elevada na última quarta-feira (4) para 12,75% ao ano – maior patamar desde 2017. Já a taxa de desemprego ficou em 11,1% no 1º trimestre e se mantém em dois dígitos desde o final de 2015.