UFC

Advogado é preso por desacato e é levado para Central de Flagrantes de Salvador

Advogado é preso por desacato e é levado para Central de Flagrantes de Salvador

A noite da última quinta-feira (30) foi tensa para um advogado de Salvador. O dia, para ele, só terminou as 1h da manhã desta sexta-feira (1º). Ele foi preso por desacato por policiais militares, que não admitiam que ele fosse advogado. O desentendimento começou no bairro do IAPI, quando uma pessoa foi presa na região.

O advogado, que ainda não teve o nome revelado, se identificou como profissional da advocacia, mas estava sem a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A PM se recusou a aceitar que ele exercia a profissão e foi iniciada uma discussão, pois os policias não quiseram informar para onde estavam levando o preso e ainda disseram que não tinham obrigação de informar nada ao defensor. Como não sabia para onde o rapaz seria conduzido, o advogado decidiu seguir a viatura. Foi neste momento, durante o trajeto até a Central de Flagrantes, que a PM prendeu o advogado, o algemando.

Segundo o relato recebido, os policiais estavam alterados. “Eles queriam que a delegada fizessem o que eles queriam”, disse uma fonte ligada ao Bahia Notícias. “Quando a PM apresenta um preso para central de flagrantes, a delegada que decide o trabalho dela. O trabalho da PM termina ali. E eles não aceitavam queriam se meter no atendimento, exigindo que a delegada entregasse o caso para ele”, contou.

O presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB da Bahia, Adriano Batista, afirmou que, ao tomar conhecimento da situação, levou o caso para Corregedoria da Polícia Civil e da PM e conseguiu resolver a situação de forma tranquila para saída do advogado. Cinco pessoas da comissão acompanharam todo o desenrolar da situação. O profissional do direito poderá protocolar um pedido de desagravo pela situação ocorrida na OAB-BA.

Fonte: Bahia Notícias

 

Veja também