Valor da cesta básica teve alta em 7 de 8 capitais pesquisadas, diz FGV

À CNN Rádio, Luiza Zacharias, da Horus Inteligência de Mercado, que ajudou no levantamento, disse que a tendência é de acomodação no preço dos alimentos

Em entrevista à CNN Rádio, a diretora de novos negócios da Horus Inteligência de Mercado, Luiza Zacharias disse que o levantamento leva em conta 22 produtos, como feijão, arroz, óleo de soja, leite, carne bovina, suína, legumes e frutas.

Segundo ela, “vários fatores” levaram ao aumento em dezembro.

“Houve quebra de safra por causa de problemas climáticos, tivemos aspectos ligados a energia de uma forma geral, pela crise hídrica, aumento na tarifa, impactam na produção dos alimentos, temos a questão da elevação do preço do petróleo, que também impacta na cadeia de insumos e a questão do dólar, quando está mais alto, impacta os preços das commodities.”

Mesmo diante desse quadro, a expectativa, para Luiza, é de que os custos de produção sejam “arrefecidos um pouco”, com a chegada das chuvas, perspectiva de melhora e aumento das safras, o que aumenta a oferta e dá “uma acomodação nos preços.”

No entanto, ela ressalta que “vivemos tempos de incerteza constante, desde o coronavírus, que gera instabilidade e insegurança, e até questões políticas, é um ano eleitoral.”

EU VÍI A EDUCAÇÃO GANHAR UM INVESTIMENTO RECORDE