Professores da rede municipal devem decretar greve em Salvador; Prefeitura lamenta decisão

Sindicato diz que cansou de esperar (Foto: reprodução)

Os professores da rede municipal de ensino de Salvador devem decretar, em assembleia na manhã da próxima quinta-feira (19), estado de greve. A categoria está em paralisação desde a última segunda-feira (16).

Ao site Bnews, o professor Rui Oliveira, líder da APLB Sindicato, confirmou que os professores devem entrar em greve após a reunião de amanhã, que acontece na Praça Municipal. A categoria pede um reajuste salarial de 33,24%. Em nota, a Prefeitura lamentou a decisão e disse que a paralisação deve trazer um prejuízo “incalculável” para os estudantes da capital, após dois anos de regime híbrido por conta da pandemia da Covid-19.

“Após sucessivas rodadas de negociação, e mesmo diante das diversas concessões realizadas pela Prefeitura Municipal de Salvador, a categoria dos professores decidiu iniciar um movimento grevista. Após dois anos praticamente sem aula, esta decisão representa um incalculável prejuízo para as crianças que dependem da rede municipal de ensino e que, mais do que nunca, precisam recuperar o tempo que a pandemia lhes tirou”, diz a nota.

Já Rui, que mais cedo tinha comentado ao Política ao Vivo sobre as dificuldades em manter o diálogo com o município, disse ao Bnews que a Prefeitura não tem chegado “lugar nenhum” nas conversas e não mudam de posição.

“Temos assembleia a partir de amanhã, às 9h, na Praça Municipal. Estávamos em paralisação desde anteontem e a partir de amanhã estamos em estado de greve. Confirmaremos na assembleia de amanhã e outras ações. Eles ofereceram 6% de reajuste sendo que o piso nacional prevê 33,24%. Eles falam de terem feito esforço, mas não chega a lugar nenhum. Não mudam de posição”, disse ao site.