Polícia acaba com rave, prende cinco e apreende mais de 70 comprimidos de ecstasy

Outras 11 pessoas foram conduzidas para a delegacia. Evento acontecia sem autorização da Prefeitura, segundo a polícia.

Uma operação policial que apreendeu drogas sintéticas acabou com a rave Aurora  que acontecia em Camaçari, na região metropolitana de Salvador. Cinco pessoas foram presas e onze foram conduzidas para a delegacia. A festa havia começado na noite de sábado (9) e foi encerrada na madrugada deste domingo (10) por conta do flagrante. A festa teria uma duração de 24h e deveria terminar apenas às 20h.

Foram presos Danilo Barreto de Matos, Mauricio Brito Ribeiro Torres, Daniel Queiroz Silva e Lucas Barros Figueiredo Silva e José Carlos Silva Santos. Com o grupo foram apreendidos 78 comprimidos de ecstasy além de porções de cocaína, LSD e maconha.

A “Operação Aurora” envolveu equipes da 26ª Delegaciua (Abrantes), policiais militares da 59ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe/Polo), Rondas Especiais (Rondesp), além das secretarias municipais de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Sedur) e Defesa Civil, da Prefeitura de Camaçari.

O evento acontecia sem autorização da Prefeitura, em um espaço na Estrada da Cetrel. Segundo a delegada titular da 26ª Delegacia, Danielle Monteiro, assim que tomou conhecimento da falta de autorização para o evento as policiais e demais órgãos se  organizaram.

“Iniciamos a operação que envolveu esta delegacia, a Polícia Militar e órgãos fiscalizadores da prefeitura de Camaçari. Outro fato é que existe histórico de práticas delituosas em outra edição deste evento realizado na mesma”, comentou a delegada. Todos foram autuados por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Em nota, os organizadores do evento informaram que a festa havia sido cancelada. Em postagens nas redes sociais da festa, há um manual de instruções sobre como se comportar no evento. Uma delas é a informação de que é proibida a entrada substâncias ilícitas e que, na portaria, haveria uma revista corporal e de volumes para checar a presença de drogas. Uma equipe de segurança também foi contratada para o evento.

Ano passado
No ano passado, na mesma festa, o jovem Eric Geovane de Oliveira, 22 anos, ficou sete dias desaparecido depois de se perder durante a rave. Ele foi encontrado dentro de uma fazenda da região próxima onde a festa aconteceu. Ele estava assustado e muito arredio.

Testemunhas disseram à família de Eric que ele teria entrado no matagal, após sofrer  dois surtos no evento. O primeiro, conseguiram conter. No segundo, Eric teria começado a gritar novamente que alguém ia matar ele e saiu correndo em direção ao matagal, quando pulou a cerca e não foi mais alcançado. Depois, Eric confirmou que havia usado drogas durante a festa.

 

 

Fonte: Correio da Bahia
JIU JITSU FERNANDO MEIRA