Mais Estudo convoca 10 mil estudantes para monitoria

O governador Rui Costa lançou, na tarde desta segunda-feira (2), o programa Mais Estudo, que promoverá monitorias de Língua Portuguesa e Matemática entre alunos de toda a rede estadual. Os estudantes que possuem média a partir de 8 darão reforço escolar para aqueles que precisam melhorar o aprendizado. Pelo trabalho, eles receberão uma bolsa mensal no valor de R$ 200. 

Podem participar alunos do 9º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio. “Nas próximas duas semanas, nós vamos chamar 10 mil monitores para que eles possam, até o mês de dezembro, ajudar no reforço escolar e na aprendizagem dos outros alunos.  É um verdadeiro batalhão de jovens. Esse projeto vai alcançar 100% da rede estadual”, afirmou o governador. 

Para participar, as escolas devem se inscrever no Portal da Educação. Todas as informações estarão disponíveis no edital, com 7,4 mil vagas para contratação imediata, que deve ser publicado nesta terça-feira (3). “Eles [os monitores] darão uma carga horária semanal de 8 horas, sendo que 2 horas serão para eles se prepararem com uma orientação pedagógica e 6 horas serão em sala de aula”, explicou o secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues.

O Mais Estudo também busca despertar nos estudantes o interesse pela docência e contribuir com práticas inovadoras de ensino. Os primeiros monitores selecionados são alunos do Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia da Informação e Comunicação (Ceep-TIC), de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Na escola, os alunos já desenvolviam um projeto de monitoria aos sábados, voluntariamente. 

“É mais um passo para eu adquirir conhecimento. É uma forma de reconhecimento do Estado e também um estímulo. Eu acredito que isso faz com que o aluno adquira ainda mais vontade em passar o conhecimento”, declarou Emanuel Luan, aluno do 2º ano do CEEP- TIC. 

O estudante contou também que as aulas de monitoria já o ajudaram a melhorar a comunicação e o relacionamento com as pessoas. “[A atividade] facilitou para mim como aluno e como futuro profissional”, acrescentou. 

Repórter: Lina Magalí