Flamengo joga mal e perde para o Grêmio em casa

Resultado negativo deixa o Rubro-Negro a 11 pontos do líder Atlético-MG

Em um jogo tenso, com direito a discussões entre os jogadores, Flamengo e Grêmio se enfrentaram no Maracanã pela 21ª rodada do Brasileirão. O Rubro-Negro jogou mal, principalmente por conta das decisões de Renato Gaúcho, e perdeu em casa para o Tricolor por 1 a 0, com gol de Miguel Borja. O atacante gremista ainda desperdiçou um pênalti.

O Flamengo não fez um primeiro tempo fenomenal, mas mandou na maior parte dos 45 minutos iniciais. A primeira oportunidade foi aos nove minutos. Gabigol tabelou com Everton Ribeiro. A bola resvalou no camisa 7 e sobrou para o artilheiro na área, mas ele errou o passe com a perna direita e desperdiçou a primeira oportunidade rubro-negra na partida.

Aos 24, o Grêmio respondeu. Em contra-ataque, Ferreira arrancou pela esquerda e cruzou rasteiro. Borja ajeitou, e Villasanti chutou fraco para Diego Alves defender bem. Mas, aos 32, foi a vez do Flamengo chega com perigo novamente. Andreas tentou o lançamento, a bola desviou na marcação e sobrou para Everton Ribeiro, na entrada da área. O camisa 7 bateu de perna direita e chutou por cima do gol.

O Flamengo sentiu o bom momento e pressionou o Grêmio. Aos 37, Andreas bateu o escanteio, e Léo Pereira cabeceou bonito, firme, para boa defesa de Gabriel Chapecó. Porém, mesmo depois de boas chances rubro-negras no duelo, foi o Tricolor que conseguiu abrir o placar, aos 47. Ferreira cruzou da esquerda e acha Borja livre na área. O colombiano cabeceia no canto esquerdo, sem chance para Diego Alves.

Após a bola na rede, o árbitro apitou o fim do primeiro tempo, mas o clima esquentou na saída do campo para o vestiário. Como Borja comemorou na frente do banco do Flamengo, Bruno Henrique ficou furioso e falou ao banco de reservas tricolor: “Estão vendo, né? Depois não vão reclamar”. Gabigol reclamou direto com o atacante colombiano, e a discussão ficou acalorada, mas a turma do “deixa disso”, com a presença de Renato Gaúcho, separou.

Na segunda etapa, um lance de preocupação. Everton Ribeiro bateu falta, jogou a bola na área, e Gabriel Chapecó saiu do gol para afastar. Na sequência, ele se chocou com Ruan, e o árbitro paralisa a partida. O goleiro ficou seis minutos caído no chão, vomitando, e não teve mais condições de jogo. Brenno entrou em seu lugar.

O jogo no segundo tempo foi monótono, sem grandes emoções. O setor ofensivo, sobretudo Vitinho e Michael, muito mal em campo. O Grêmio, com vantagem no placar, gostava e tentava jogar no erro do Rubro-Negro.

Renato Gaúcho tentou melhor a equipe: Isla, Everton Ribeiro, Vitinho e Michael saíram para as entradas de Matheuzinho, Bruno Henrique, Pedro e Kenedy, que fez a sua estreia com a camisa do Flamengo. As substituições não surtiram efeito, e o Rubro-Negro começou a jogar na base da raça, sem organização tática.

Mas o fim de jogo foi repleto de emoção, com o Flamengo pressionando após o árbitro dar dez minuto de acréscimo. Aos 53, entretanto, o Grêmio quem teve a chance de encaminhar a vitória. Léo Pereira colocou a mão na bola, e, com a ajuda do VAR, o pênalti foi marcado. Borja pegou a bola, mas bateu mal, e Diego Alves defendeu.

O Grêmio valorizou a posse de bola e conseguiu segurar o placar para conquistar uma importante vitória fora de casa. Com o resultado, o Flamengo fica na terceira posição, com 33 pontos e a 11 do líder Atlético-MG. O próximo duelo no Brasileirão é no próximo domingo, fora de casa, diante do América-MG, às 11h.

O Flamengo agora vira a chave e mira o duelo com o Barcelona de Guayaquil, na quarta-feira, também no Maracanã, pela semifinal da Libertadores.

Programa Estado Solidário