GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Custo da construção acumula alta de 9,38% no primeiro semestre do ano

Em junho, indicador do FGV Ibre variou 2,3%, 0,5 ponto percentual a mais do que em maio; índice de confiança também subiu

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) acumulou alta de 9,38% no primeiro semestre de 2021. Em junho, o indicador do FGV Ibre variou 2,3%, 0,5 ponto percentual a mais do que em maio. Em 12 meses, o INCC-M sobe 16,88% – cerca de três vezes o IPCA projetado para o ano.

Nos números da FGV Ibre, a aceleração de deste mês foi motivada pelo componente mão de obra, que subiu 2,98% agora, ante 0,99% em maio. O item materiais, equipamentos e serviços passou de 2,58%, no mês passado, para 1,65%. A variação relativa a serviços passou de 0,95% em maio para 1,19% em junho.

Confiança

Apesar do aumento no custo, o Índice de Confiança da Construção (ICST), do FGV Ibre, subiu 5,2 pontos em junho, para 92,4 pontos, registrando a segunda alta consecutiva. Em médias móveis trimestrais, o índice avançou 1,2 ponto, a primeira elevação no ano.  O nível de confiança em alta repete cenário detectado também pela Confederação Nacional da Indústria.

“ A pressão dos preços das matérias primas sobre os orçamentos e novos projetos não arrefeceu e continua sendo um dos grandes obstáculos às atividades das empresas. No entanto, prevaleceu a percepção de que a alta dos preços não está afetando a demanda, que voltou a crescer”, avaliou a coordenadora de Projetos da Construção do FGV Ibre, Ana Maria Castelo.