Coronel minimiza pesquisas sobre disputa pelo Senado

Ele foi escolhido pelo governador Rui Costa (PT) como candidato da chapa.

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), minimizou as pesquisas que o colocam em desvantagem em relação à senadora Lídice da Mata (PSB) na corrida pelo Senado. Ele foi escolhido pelo governador Rui Costa (PT) como candidato da chapa. “Se pesquisa aferisse vitória antecipada, acho que não teria nem ter eleição. Era só contratar um instituto de pesquisa, quem estivesse na frente seria nomeado. Há oito anos, Lídice e Pinheiro praticamente não pontuavam. Quem pontuava era César Borges. Há quatro anos, Otto tinha 4%, Geddel tinha 39%, quem ganhou foi Otto Alencar. Em 2014, Rui Costa tinha 4%, Paulo Souto 60%, quem ganhou foi Rui. Então, pesquisa é mais recorte de momento”, disse o parlamentar, ontem, durante inauguração do Hospital Dia Roberto Santos.

Após seu nome ser anunciado, na noite de anteontem, o parlamentar chegou a mencionar promessas para caso seja eleito, afirmando que deseja rediscutir o Pacto Federativo. “Não dá mais para que os prefeitos só tenham as obrigações, enquanto continuam sem recursos para atender quem primeiro lhes bate à porta. Essa discussão é inadiável, defende”. Coronel disse ainda que pretende cuidar da segurança pública. Ele quer atacar o problema “das drogas e das armas na nascente, fortalecendo o policiamento de fronteiras, para evitar a entrada no país”. “Ao invés de caçar o consumidor, a segurança pública tem que se voltar para o grande fornecedor de drogas e armas”, disse.

O pessedista também criticou o que chamou de “desrespeito à Constituição Federal e a extrapolação de papéis do Poder Judiciário e do Ministério Público”. “Não dá para passar o Brasil a limpo em um sistema judiciário que acusa, processa e condena conforme a visão de mundo dos juízes, segundo simpatias ou antipatias”, afirmou.

 

Por Guilherme Reis | Tribuna da Bahia
JIU JITSU FERNANDO MEIRA