Bahia chega a 93,80% de vacinação contra Febre Aftosa e reforça fiscalização ao rebanho não declarado

Fruto de um trabalho do Governo do Estado, através da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Adab) e dos produtores a Bahia alcançou 93,80%, durante a primeira etapa de vacinação contra a Febre Aftosa. Das quase 10 milhões de cabeças, foram vacinados 9.316.986 animais. Esse índice supera as exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em que os números nos estados devem ser superiores a 90% do rebanho. Os produtores que não vacinaram ou não declararam serão multados no valor de R$ 53 por cabeça e R$ 160 por propriedade não declarada, ficando impedido de vender ou transportar o rebanho.

Com esses dados, a Adab vai reforçar a fiscalização para os produtores inadimplentes. No Estado, estão cadastradas 269.768 mil propriedades de bovinos e bubalinos. Para o diretor-geral da Adab, Maurício Bacelar, esses números comprovam o trabalho educativo, o comprometimento do Governo do Estado e dos produtores com a garantia de livre da aftosa. “O Governador, Rui Costa, nos deu essa missão de trabalhar para garantir o desenvolvimento do Estado, aliado aos status sanitários do nosso rebanho, garantindo assim, o crescimento econômico e social da Bahia. Seguimos no caminho certo para cumprir os planos do ministério que é a retirada da vacina a partir de 2021”, concluiu.

A Bahia busca a garantia dos status de zona livre de aftosa, concedido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), pelo 18º ano consecutivo. São 22 anos livre da doença, o último caso registrado foi em 1997. Segundo o diretor de defesa animal da Adab, Rui Leal, esses números comprovam que ao longo dos anos a Bahia tem registrado crescentes indicadores de produtividade, diversificação e comercialização de produtos e serviços gerados no setor pecuário. “O objetivo agora é evoluir o Estado e todo país para zona livre, sem vacinação, a partir do ano de 2023”, concluiu.

A segunda etapa da campanha de vacinação será realizada durante o mês de novembro e abrange bovinos e bubalinos de até dois anos de idade.

Fonte: Ascom/ Adab