GOVERNO DA BAHIA - TERRA MÃE DO BRASIL

Após nocautear na estreia no UFC, Bruno Blindado avisa: “Não fiz nem 90% do que sou capaz”

Peso-médio, que bateu Wellington Turman no primeiro round, avisa que rivalidade com compatriota está encerrada: “Falei com ele, cumprimentei, e fui saber se estava tudo bem”

Bruno Blindado deixa Wellington Turman estirado no octógono e conquista a 17ª vitória por nocaute — Foto: Getty Images

Bruno Blindado era a expressão da felicidade e do alívio após estrear no UFC no último sábado. A primeira vez no cage mais famoso do mundo veio com direito a nocaute no primeiro round diante do compatriota Wellington Turman. Suficiente para deixar o lutador paraibano 100% satisfeito? Ainda não. Na coletiva depois da luta, o lutador da curitibana Evolução Thai prometeu que vem muito mais pela frente.

– Queria ter feito um pouquinho mais, queria acabar com a luta porque estou voltando depois de um tempinho, e quero fazer muito mais. Não fiz nem 90% do que sou capaz. Vocês vão me ver muito mais vezes aqui.

Aos 31 anos, Blindado chega a um cartel com 10 vitórias e seis derrotas. O triunfo no fim de semana foi o quinto consecutivo, tendo ainda conquistado o cinturão peso-médio (até 84kg) do M-1 Global neste período, com três vitórias na Rússia.

– Cheguei aqui como campeão, e nasci para ser campeão. Não trabalho para ser o número 2. A minha categoria acredito que é uma das mais difíceis do UFC, mas me imagino lutando com todos, quero fazer grandes lutas. Sou de uma nova geração que luta com o estilo da geração antiga.