Alemanha limita festas de fim de ano a 10 pessoas para conter ômicron

As medidas, que se aplicam até mesmo a pessoas vacinadas, entram em vigor a partir de 28 de dezembro para todas as reuniões privadas

A Alemanha limitou nesta terça-feira (21) as reuniões e festas de réveillon a 10 pessoas e proibiu o público em grandes eventos esportivos a partir de 28 de dezembro para tentar conter o avanço da variante ômicron do coronavírus.

“Não é hora de celebrar festas e noites amistosas com muita gente”, disse o chanceler Olaf Scholz, após falar aos dirigentes das 16 regiões do país, garantindo que “a quinta onda já está em andamento”.

As medidas, que se aplicam até mesmo a pessoas vacinadas e àqueles que se recuperaram da covid-19, entram em vigor a partir de 28 de dezembro para todas as reuniões privadas.

Para pessoas não vacinadas, o limite é de no máximo dois convidados, disse Scholz em entrevista coletiva.

Clubes e discotecas também fecharão em todo o país. Esses estabelecimentos já estão fechados em algumas regiões especialmente afetadas pela pandemia, como a Baviera.

Todas as competições esportivas, especialmente os jogos de futebol, serão realizadas à portas fechadas, o que deverá valer para a Bundesliga quando o campeonato alemão for retomado, em 7 de janeiro.

“O número de infecções aumentará enormemente nas próximas semanas, devemos nos preparar agora”, destacou ao exortar os alemães a assumirem sua “responsabilidade individual” no cumprimento das novas restrições.

O chanceler recomendou testes antes das reuniões com outras pessoas nas festas de Natal e Ano Novo. Ao contrário da vizinha Holanda, a Alemanha não pretende fechar lojas, cinemas ou restaurantes não essenciais.

A maior economia da Europa foi atingida por um forte surto de coronavírus desde o início do outono. O número de novos casos diminuiu ligeiramente desde o retorno de várias restrições, mas o nível de infecção continua alto. Na terça-feira, quase 24 mil casos foram notificados em 24 horas, enquanto no sábado chegaram a quase 43 mil.

A Alemanha já apertou as restrições em várias ocasiões, especialmente para 30% de sua população que não é vacinada.

Fonte: IstoÉ