UFC 213

Gandu: Trinta e sete (37) anos sem o Ex-prefeito Eliseu Leal “in memoriam”

Hoje dia 01 de setembro faz 37 anos da morte do maior líder politico de todos os tempos, era assassinado em Ondina, Salvador – Bahia, o prefeito de Gandu, Eliseu Cabral Leal. Não temos duvidas que ele foi o maior administrador da história de Gandu. Talvez, estarei sendo um pseudoreligioso, mas usarei uma passagem bíblica que diz: “Sem ele, nada do que foi feito se fez”, pois o que ele não teve tempo de fazer, deixou o legado para o futuro.

O prestígio de Eliseu Leal trouxe obras memoráveis e eternizadas que podemos citar sem medo, tais como: A inauguração do hospital, a passagem da BR 101, a entrada da cidade, o lago azul entre dezenas de outras obras. Gandu recebeu o título da cidade mais limpa do Brasil pela revista de circulação nacional O CRUZEIRO, uma VEJA da época. Indubitavelmente, podemos afirmar, Eliseu Leal era um homem visionário e empreendedor e que acima de tudo, amava Gandu e seu povo.

Qual o prefeito do interior da Bahia teria o poder e a moral de trazer a sua cidade um ministro gaúcho para mudar o contexto de uma estrada já assinado pelo presidente? Tem prefeitos hoje, que nem conseguem trazer seus deputados fora da época de eleição, imagine!?

Eliseu Cabral Leal, filho de Juvêncio Lobão Leal (o senhor Juvêncio da Farmácia) e Dona Minervina Cabral Leal (Dona Pombinha). Iniciou sua carreira política como vereador em 1959 aos 21 anos, prefeito em 1968, deputado estadual em 1971 e voltando a prefeitura em 1977 sendo afastado de maneira trágica e prematura.

Até hoje o seu governo e sua força política é um parâmetro para muitas gerações se tornando imortalizado como o maior líder político de todos os tempos. Tenho orgulho de ser seu sobrinho e de poder narrar sua história com o sangue LEAL correndo em minhas veias.

Gandu sempre tem dado provas do seu amor por Eliseu, pois além do sentimento que há nos corações dos ganduenses, homenageou-lhe com nomes de Rua, Travessa, Bairro, Escola entre outros e sei que não existem homenagens suficientes para demonstrar esse amor único, exclusivo e incondicional.

*(Rev. Israel Leal – Teólogo/ Licenciatura em História/ Bacharel em Direito).

Veja também